Alugar seu imóvel: Um passo a passo para evitar uma boa dor de cabeça

 em blog, Dicas

Uma fonte de renda confiável, apesar da crise econômica dos dias de hoje, continua sendo o setor imobiliário. Alugar o seu imóvel, no entanto, pode trazer mais dor de cabeça do que receita, se feito de maneira equivocada. Para quem não tem intimidade no assunto, é bastante comum cometer erros simples que, no fim das contas, tornam a primeira experiência na última.

 

1 . Por isso, saber por onde começar é essencial na hora de resolver alugar o seu imóvel. E nada melhor do que se livrar da burocracia logo de cara para não ter mais que mexer com ela.

É imprescindível estar com a seguinte documentação em dia para poder ter seu imóvel alugado:

  • Carteira de identidade
  • CPF
  • Comprovante da propriedade ou domínio do imóvel

Em caso de pessoa jurídica, é preciso:

  • Contrato Social da empresa
  • Número do Cadastro Geral de Contribuintes
  • Comprovante da propriedade ou domínio do imóvel

 

2 . Passada essa parte, é preciso se perguntar se é necessário ou não o aluguel através de uma imobiliária. Apesar de se conseguir economizar uma boa quantia quando optando por alugar por conta própria, a utilização de um serviço profissional pode facilitar e agilizar o processo de aluguel do seu imóvel. Caso a escolha seja por conta própria, é importante ficar atento para não levar calote ou processo de irregularidade judicial.

 

3 . Decidido por onde alugar, o próximo passo é definir o valor do seu imóvel. É essencial ter coerência e boa vontade na hora de escolher o preço. Compare o imóvel com outros semelhantes que estão no mercado. Ajuste o preço de acordo com essa avaliação. Leve sempre em consideração os bônus e ônus: vizinhança, paisagem acesso.

Uma boa apresentação também é essencial. Evite sempre alugar o seu imóvel com qualquer tipo de problema, por menor que ele seja. Uma pia com defeito pode ser o suficiente para o inquilino desistir de fechar negócio com você. Obras então nem se fale. Mantenha seu imóvel sempre limpo. Caso tenha área externa, como jardim ou piscina, o mesmo cuidado com as áreas internas é fundamental.

 

4 . Decidido o valor, o próximo passo é saber como anunciar. Na era digital em que vivemos, o mais comum é divulgar o imóvel em sites de busca. Há empresas que fazem esse serviço com descontos, quando comparados com a divulgação direta nos sites, por isso é importante estar atento a essas oportunidades.

As fotos que forem tiradas serão a única maneira do possível inquilino de visualizar o imóvel antes de uma visitação, portanto elas devem ser tiradas de ângulos favoráveis de todos os ambientes da casa. Valorize paisagens e tudo que possa atrair. Caso o imóvel esteja para aluguel com mobília, é também importante tirar mostrá-la no anúncio.

Feito o contato com o(s) possível(eis) inquilino(s), deixar o imóvel aberto à visitação é necessário para fechar o negócio. Agende as visitas para não ter perda de tempo e fique sempre atento à segurança.

Uma opção para quem não quer gastos grandes com uma grande divulgação é pedir para os porteiros do condomínio anunciarem, prometendo uma quantia em caso de negócio fechado.

 

5 . Escolhido o inquilino, é necessário antes de tudo conhecê-lo bem antes de redigir um contrato. Certifique-se de que ele não tem problemas com a justiça, converse com ele e saiba das suas intenções ao alugar o imóvel, além de saber da sua saúde financeira, para não sofrer risco de tomar calote.

Feito isso, é chegada a hora de colocar o negócio no papel. Os quatro pontos mais importantes na hora de fechar são:

  • Preço do aluguel
  • Tempo de vigência do contrato
  • Garantias
  • Eventuais Penalidades.

Ser flexível é importante para ter uma boa convivência durante a vigência do contrato. Estar aberto a negociações é bom para início de conversa, principalmente na negociação de cláusulas e garantias. Uma boa forma de se proteger, caso for alugar o mesmo imóvel para mais de uma pessoa, é fazer contratos individuais com cada inquilino.

Em caso de rescisão, o valor da multa é outro ponto a ser estabelecido. No Brasil, o locador não pode livremente rescindir o contrato. Esse direito é do locatário (para mais detalhes neste assunto, clique aqui). Assinado o contrato, o inquilino deve pedir a inclusão do seu nome nas contas de luz, água e gás, sem que a propriedade seja passada ao seu nome.

 

6 . Feito tudo isso, a experiência de alugar o seu imóvel não deve te trazer nada além de uma boa receita e boa convivência com o seu inquilino.

 

 

Nossos consultores Meuimo ficam a sua disposição!

 

Anunciar seu imóvel direto com o proprietário. Venda e alugue apartamentos, casas, imoveis comerciais e qualquer tipo de imóvel sem intermediação e corretor. Só no Meuimo!

 

Postagens recentes